Bom dia • 19/10/2018

Frase da Semana:
"Posso todas as coisas naquele que me fortalece" (Fp 4.13).
9 de julho de 2018 às 09:01
Sem comentários
Comente agora

MENSAGEM DO DIA: APÓS UMA TOLA DECISÃO

Asa ia muito bem. O país tinha paz e prosperidade, e todos viviam alegres com o seu reinado. Ele mesmo declarou que o Senhor lhes dera aqueles dez anos de paz e abundância. Porém, ele não vigiou, e o pensamento negativo, de incredulidade, tomou conta do seu coração. Parecia um profeta, e, talvez, ele se considerasse como tal, porque, do nada, conclamou o povo a se preparar para a guerra. Por que fazemos coisas semelhantes?

O rei nem pensou na proposta que fez. Na verdade, ele estava dizendo ao Senhor que não mais os protegesse, porque já tinham dinheiro suficiente para criar barreiras ao redor do seu território. Que estupidez! Se Deus os guardara até aquele momento, não poderia continuar a fazer isso? Veio do Altíssimo a ideia de se equiparem para a batalha? Claro que não! Ora, muita gente contrata seguranças e, quando surgem os assaltos, acham que fizeram o certo.

Na visão de Asa, ele deveria usar os recursos para construir muros, torres, portas e ferrolhos. No entanto, se orassem, Deus lhes revelaria os acontecimentos, os quais seriam armas letais do Inferno. Por ter criado um exército de 580 mil homens de Judá e Benjamim, o rei deve ter sido louvado pelas pessoas que não andavam com o Senhor e, por isso, achavam certo tomar aquelas precauções.

O Muro de Fogo que os protegia ficou decepcionado. Deus sente o mesmo em relação às pessoas que se tornam vaidosas e começam a “se cuidar”. Elas deixam de investir os meios concedidos por Ele na obra de evangelização, mas compram casas, barcos e aviões. Com isso, na sua ostentação, sentem-se desprotegidas e contratam seguranças para guardá-las. Asa nem desconfiava de que seu plano era mau e, em breve, ele veria a guerra nos seus termos.

Então, dos confins do mundo, surgiu contra eles Zerá, o etíope. Quando Asa abandonou seu pacto com o Senhor, o diabo providenciou esse homem da Etiópia, o qual, com um exército de 1 milhão de homens e 300 carros, tomou posse do território do povo de Deus e chegou até Maressa. O rei caiu em si e viu que havia dois soldados etíopes para lutar com cada um dos seus. Assim, resolveu apelar para o Senhor.

Nada daquilo teria acontecido se Asa tivesse mantido seu concerto com o Altíssimo. Pense bem nos seus atos, bem como nas palavras ditas sem orar ao Pai  e buscar a Sua vontade. Ora, se Ele não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela (Sl 127.1), mesmo que esta crie um exército ou construa muralhas! De Deus é a guerra, e bom é quando Ele a trava sozinho, como ocorreu anos depois com Josafá. Ainda há tempo para voltar atrás.

Se você está com problemas e, embora esteja orando, a solução não vem, veja onde caiu e se reconcilie com Deus. Fora da Aliança, você terá muitos prejuízos. Quem serve ao Senhor não serve a si mesmo, mas é servido por Quem Se cingiu de uma toalha e lavou os pés dos discípulos. Deixe-O limpá-lo do que o impede de ter parte com Ele.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

 

Por: Jornal Simãodiense

BANNER_HOME- NOTICIAS-VENDE

Comentários

Seja o primeiro a enviar uma mensagem